09 julho 2007

Azul

Azul
Sal
E lágrimas

Mesmo que amargas
Salgadas
Vindas de um mar

De angústias
Tristezas
E amor doído no peito

São doces.

De um azul infinito
De amor
Ternura
E de um mar
Tão rico e brilhante!

Que vive no fundo desses olhos
Que miram um horizonte

Distante? Impossível?

Tão perto...

Felicidade de um coração amigo
Que está
-mesmo longe
-perto.

*******


Lindo! Sua, viu? Se não gostar, perdão, mas não posso evitar as palavras que me chegam nas pontas dos dedos, querendo liberdade!

(Sei que ando sumida, mais tarde eu volto com mais Palavras... Linda semana pra todos! =])

Marcadores: , , , ,

9 Comentários

  1. Blogger Jana Postado em 9/7/07 08:34  
    Hum pelo visto tem endereço certo...

    Que gostem...

    Beijos
  2. Anonymous Lidiane Postado em 9/7/07 10:51  
    Nininha, coração.
    Saudade da minha flautista preferida.
    Saudade de falar com você.
    Querendo saber como está o azul desse mar infinito que é seu coração.

    A propósito, você estará em BH do dia 16 ao dia 22?
    Hum?
    Hum?
  3. Anonymous Juliano Postado em 10/7/07 21:22  
    Belo poema, Nina.

    Algo em comum: a distância - essa malvada - nos consome.

    Grande abraço.
  4. Anonymous Márcia(clarinha) Postado em 15/7/07 14:05  
    Nina Menina Linda
    que belo azul nas palavras que traduzem essa distância...
    Fica bem flor, se cuida!
    lindos dias,
    beijos
  5. Blogger PiresF Postado em 24/7/07 21:47  
    Como não gostar... tanto mar, tanto mar... e saudade, coisa bem portuguesa.

    Enorme abraço.
  6. Blogger Sanka Postado em 26/7/07 16:58  
    azul... é o que mais canto.

    muito bonito, nina.
    beijos!!!!
  7. Blogger Lidiane Postado em 28/7/07 23:12  
    Ninocaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa.

    Amei o CD.
    Vou mandar a foto por e-mail.
    Foi ótimo o nosso encontro.
    AMEI.

    Você é uma fofura linda.
    Fiquei dodói, por isso não te liguei mais.

    Já estou em Sampa.

    Beijos.
  8. Blogger paliavana4 Postado em 2/8/07 05:10  
    No meio de tantos timbres e cores indiferentes ou indecisas (leia-se: gente), nada como vir a este azul ("Ay, este azul / que les quiero contar como fue...") tão bem criado pela NINA (sumida).

    Aquele abraço.
    Darlan
  9. Blogger Davi Reis Postado em 13/8/07 14:48  
    Um coração que mesmo longe está perto...

    :)

    Bonito.

    Beijinho transatlântico

Postar um comentário

« Home